Análise prospectiva - educação em 2020

Deixo partes de um exercício de prospectiva que fiz há 2 anos e que encontrei por acaso nas minhas notas. Usei-o numa discussão de fórum no mestrado da católica, disciplina Internet e Educação. Uma visão para a educação até 2020, incompleta porque o tempo é pouco e a complexidade da análise imensa. Susceptível de muita discussão, espero, deverá ser lida com as devidas reservas. Tentei abordar algumas áreas relacionadas com a escola.

O espaço
  • O espaço sala mudará dos "palcos" para o openspace
  • O dentro e fora da escola deixarão de fazer sentido
  • A escola tornar-se-á mais móvel
O tempo
  • A incapacidade para lidar com complexidade e a incerteza será limitação maior que a do tempo.
  • Os horários deixarão de ser do tipo "folha de cálculo", deslocalizando-se para gantt charts e não estando tão baseadas em temas curriculares e mais em projectos
O currículo
O conceito de Open curriculum crescerá. O currículo nacional será um wiki. E o curriculum geral, integrando aspectos emocionais e espirituais, será desdobrado a vários níveis

As estratégias de ensino-aprendizagem
Em vez do aluno como tendo o papel central, serão as ideias e a sua concretização que tomarão o centro. O empreendedorismo colectivo (professores e alunos) e os projectos tomarão conta da escola e definirão os contextos de aprendizagem. As estratégias de ensino-aprendizagem incluirão lições da estratégia de guerra, comercial e de organizações.

Os saberes chave
Adicionandos aos saberes de Delors os 7 saberes de Morin e a espiritualidade. A memória e a inteligência formal são complementadas cada vez melhor pelas tecnologias. Um revivalismo do memex? Mind extension?

A avaliação
  • Numa cultura transparente, todos terão acesso às notas e trabalhos de alunos. Câmaras de vídeo nas aulas serão ubíquas, permitindo uma videoscopia regular do professor.
  • Os LMS terão um papel fundamental na publicação dos trabalhos para avaliação, e mesmo das notas. Portfolios e recomendações serão norma comum.
  • Sistemas de agregação de dados de avaliação permitirão estatísticas no momento a vários níveis de organização (escola, agrupamento, região, nação)
  • Os alunos avaliarão o professor de forma sistemática.
  • Os alunos avaliarão os colegas.
  • Os professores avaliarão os professores.
As tecnologias na escola
  • Os computadores ligados serão ubíquos, tal como os cadernos e lápis o são agora
  • O computador parecerá um moleskine, integrando gadgets tal como o telemóvel o tem feito. O conceito de tablet tornar-se-á mainstream
  • O software livre e opensource será obrigatório nos computadores da escola
  • Os smartboards serão o substituto natural do quadro preto
A internet na escola e a escola na Internet
  • O acesso livre e sem fios será padrão. Os LMS também.
  • Professores e alunos ajudarão a construir a web todos os dias
  • A colaboração e gestão de projecto usarão a rede para maximizar recursos.
  • Os repositórios de conteúdos multimédia serão abertos para a escola
A relação professor-aluno
Baseada na colaboração e no reconhecimento de hierarquia pelo mérito. Relação mais próxima, baseada em tutoria.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

The Demon Theory of Friction

A kilobyte rewritable atomic memory